pressione enter para pesquisar
03Abr

Abril Verde alerta para saúde e segurança do trabalhador

Abril é o mês da prevenção aos acidentes de trabalho. E como tratar do tema da prevenção em um país que está em quarto lugar no ranking de locais onde mais ocorrem acidentes ocupacionais no mundo?

 Para se ter ideia dos números, estima-se que em 2015 ocorreram cerca de 612 mil acidentes no País. Foram mais de R$ 5 milhões de reais pagos pelo INSS em benefícios aos trabalhadores afastados por acidentes neste ano. E esses números não são recentes: de 2010 a 2014, o Brasil registrou em média 700 mil acidentes de trabalho por ano. Será que estes números se mostrarão melhores em 2018?

 Para mudar esta realidade, uma das ações que recebe o apoio do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) e de empresas do setor privado, é o Abril Verde. Voltado à conscientização de toda a população sobre a importância de práticas que reduzam o número de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, este mês inteiro é dedicado à saúde e segurança do trabalhador.

 Para isso, uma série de ações são realizadas, com o objetivo de promover um ambiente seguro e práticas saudáveis em todos os setores produtivos. Ações como essa ajudam a consolidar a cultura de prevenção, que depende de cada um de nós.

O objetivo é fazer com que a sociedade perceba que, quando acontece um acidente do trabalho, todos são impactados. Além das inúmeras perdas, os acidentes e doenças geram afastamentos e diminuição da capacidade produtiva, afetando também uma indústria, um setor e um mercado.

 

Por quê abril?

 O mês de abril foi escolhido por representar um importante acontecimento. Em 28 de abril de 1969, uma explosão na mina da cidade de Farmington, estado da Virgínia, nos Estados Unidos, matou 78 trabalhadores. Desde então, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu a data como o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalho. A data também virou Dia Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho, tendo o laço verde como o símbolo de representação.

 

Homens x mulheres

Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, as doenças ocupacionais são “produzidas, adquiridas ou desencadeadas pelo exercício da atividade ou em função de condições especiais de trabalho”.

 

As doenças ocupacionais afetam homens e mulheres, mas de uma maneira diferente. Segundo o Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade do MTPS (2013), os registros de acidentes indicam uma distinção por gênero no perfil dos trabalhadores afastados.

O levantamento mostra que 70% dos homens se afastam por causa de traumatismos. Já 78% das mulheres têm afastamento por doenças no sistema nervoso ou doenças osteomusculares e do tecido conjuntivo.

 

Como prevenir acidentes de trabalho?

 Todas as ações preventivas de segurança são importantes para reduzir os riscos de acidentes de trabalho. A segurança vem sempre em primeiro lugar e, com ela, o aumento da produtividade da operação, melhoria no clima organizacional, e a criação de um ambiente de trabalho seguro e saudável. Veja alguns pontos que podem ajudar a evitar acidentes na indústria:

 Manter o ambiente de trabalho seguro: estabelecer um conjunto de medidas preventivas é o melhor caminho para proteger a equipe de acidentes a que todos estão sujeitos diariamente. Assim, os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) são fundamentais para manter o ambiente de trabalho seguro. Alguns exemplos são os cones e faixas de segurança, placas de sinalização, sensores de presença, sirenes e alertas luminosos, cadeados e garras de bloqueio, bloqueios de disjuntores.

Oferecer EPIs para equipe: é obrigatório que as empresas forneçam aos funcionários os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários para desempenhar cada atividade. A escolha do EPI deve estar de acordo com o grau de proteção exigido para a função inerente ao risco do equipamento.

Investir no treinamento da equipe: os funcionários precisam saber exatamente o que estão fazendo a todo o momento, portanto, seguir os processos. Assim, educar os trabalhadores sobre as atitudes preventivas é fundamental.

Conscientizar e manter um diálogo sobre o tema: a segurança precisa fazer parte do dia a dia dos trabalhadores. Então, além de treinamentos, vale a pena investir em conversas diárias (DDS), palestras e outros tipos de discussões para sempre deixar a equipe preparada.

Manter as manutenções em dia: a falta de manutenção preventiva aumenta muito o risco de acidentes, já que o trabalhador, ao tentar resolver um problema, pode se expor a situações que comprometem sua integridade física. Por isso, é muito importante desenvolver uma rotina de manutenções regulares de máquinas e equipamentos.

 

Gostou do conteúdo? Então, confira também nosso infográfico com informações sobre s principais causas de acidentes de trabalho.

Se tiver dúvidas ou  quiser compartilhar comigo a sua opinião, envie um e-mail para [email protected]. Aguardo o seu contato!

Sobre o autor: João Marcio Tosmann é formado em Engenharia Elétrica, com ênfase em Eletrônica, pela PUC-RS, com pós-graduação em Administração Industrial pela USP e MBA em Marketing pela ESPM.

Possui experiência em projetos de manutenção industrial e logística em autopeças. Atuou como membro da diretoria do Complexo Industrial Automotivo General Motors (CIAG) e líder de projetos de novos veículos como Celta (General Motors) e EcoSport (Ford). Atualmente é diretor da Tagout, indústria de produtos de Bloqueio e Etiquetagem que oferece consultoria, treinamento e elaboração de procedimentos para implantação do Programa de Controle de Energias Perigosas (PCEP).

compartilhe:
Receba nosso informativo
cadastre-se e receba em seu e-mail nossas notícias
cadastrar
+55 19 3500.8216
+55 19 3500.8217
+55 19 3500.8218
+55 19 3500.8219

Rua José Gallo, 258
Vista Alegre – Vinhedo/SP - Brasil
CEP: 13285-332
© TAGOUT 2017 - Todos os direitos reservados